11 de Dezembro, 2019 | Por admin

Deixe Andy Crouch dar sabedoria digital para a sua família (Courtney Reissig)

Como mãe, poucas coisas ocupam mais a minha mente do que como usamos tecnologia com nossos filhos. Nós lemos as estatísticas. Nós vemos o que o uso da tecnologia pode fazer. Mas, como muitos outros pais, eu ainda me pergunto como usar melhor a tecnologia na minha família, que é a razão de eu agradecer tanto a Andy Crouch. No seu novo livro, Sabedoria digital para a família: passos diários para colocar a tecnologia no lugar certo, Crouch fornece uma estrutura bem útil para famílias em sua busca para usar a tecnologia com sabedoria nos nossos lares.

O livro é dividido em três partes. A primeira (capítulos 1 a 3) trata das decisões de uma família com sabedoria digital. A segunda parte (capítulos 4 a 8) vai para a prática, focando na vida cotidiana segundo a sabedoria digital. A terceira parte (capítulos 9 a 10) é um tipo de “onde queremos estar” sobre como a sabedoria digital faz a família focar no que mais importa. Com seus “Dez compromissos da sabedoria digital”, Crouch — anteriormente um estrategista de comunicação na Christianity Today e hoje na Templeton Foundation — mostra aos pais que o uso da tecnologia em casa não precisa ser moldado pela cultura externa, mas pode ser intencional e promover o florescimento de cada membro da família

Criando uma melhor opção

Não é que Crouch simplesmente encoraja os pais a deixar seus celulares de lado ou limitar o tempo dos seus filhos na frente de telas. Pelo contrário, ele conclama os pais a estarem presentes nos seus lares. Ele não está trazendo mais uma série de regras, mas um estilo de vida para usufruir de pessoas e experiências no mundo real, e isso só pode acontecer estando presente de verdade.

Pais (e filhos) vão encontrar muitas informações úteis em Sabedoria digital para a família sobre como usufruir o mundo. Com cada compromisso, Crouch desafia a nossa necessidade de sermos entretidos indefinitivamente por luzes brilhantes. Enquanto a tecnologia nos espera a simplesmente consumir a criatividade de outras pessoas, Crouch nos encoraja a criar a nossa própria beleza, arte e cultura. É claro, isso exige trabalho e intencionalidade. Mas, de outras formas, ele está nos chamando de volta para o que Deus planejou para nós. Fomos criados para trabalhar, criar e governar sobre o mundo que ele fez. Fomos criados para relacionamentos no mundo real, relacionamentos que crescem e se desenvolvem com o tempo.

Crouch desafia a nossa inclinação natural para soluções fáceis para o tédio dos nossos filhos — e o nosso desejo de fazer as coisas sem sermos interrompidos. Como pais, é fácil entregar uma tela para nossos filhos sempre que precisamos de um tempo livre. Eu já fiz isso. Os pais vão achar bem convincente essa exortação sobre usar telas para deixar nossas crianças ocupadas. Como Crouch diz, “Quanto menos confiamos nas telas para ocupar e entreter nossos filhos, mais eles se tornam capazes de se ocupar e se entreter sozinhos”. Ao se comprometer a abraçar o tédio que vem por simplesmente viver neste mundo, os pais na verdade estão preparando os seus filhos para se tornarem adultos que encontram coisas significativas para fazer com seu tempo, para desfrutar de pessoas por meio de relacionamentos e conversas e descansar de verdade, ao invés de simplesmente deixar uma atividade automática preencher o espaço.

Ao falar sobre o tempo antes do jantar, ele diz: “Nós jamais descobriremos como ajudar os filhos — e a nós mesmos — a sobreviver à meia hora enlouquecedora antes do jantar, se sempre nos contentarmos com a tela.” Parece contracultura. E é. Mas também é um alívio. Crouch não só desafia, mas também dá uma nova visão para uma vida de beleza, relacionamento e criatividade — sem escravidão à tecnologia.

Desafiando compromissos

Eu concordei com a maior parte dos compromissos em Sabedoria digital para a família e, embora eu tenha me sentido desafiada de vez em quando, eu sabia que as ressalvas no meu coração provavelmente se deviam ao meu desejo de manter a tecnologia no centor da minha vida. Contudo, há alguns pontos onde eu queria que Crouch desse maiores qualificações para suas exortações. Um pai cansado leria este livro e se sentiria sobrecarregado pelo tanto de sugestões.

Talvez seja pela minha situação de vida (mãe de três crianças pequenas e grávida da quarta), mas eu me perguntei se não seria possível dar mais exemplos concretos para crianças mais novas para ajudar um pai procurando alternativas melhores do que a tecnologia. Todas as sugestões de Crouch para desfrutar do tempo em família, porém, me fizeram ansiar pelo dia em que a nossa família poderá fazer mais coisas juntos.

Como você vai servir?

Algumas pessoas podem se incomodar com a radicalidade dos compromissos de “sabedoria digital” sugeridos por Crouch, perguntando-se uma vida com um uso tão limitado da tecnologia sequer é possível. Quer a sua família adote ou não todos os compromissos, todos nos beneficiaríamos de uma abordagem mais pensada e comedida à tecnologia.

Embora Sabedoria digital para a família seja um chamado a uma vida radical, eu estou bem certa de que eu não vou desejar no fim da minha vida ter passado mais tempo mexendo no Facebook ou assistindo Netflix. Todos nós — pais ou não — faríamos bem em ouvir os sábios conselhos de Crouch.

Nós só temos uma vida para viver. Não seria melhor gastá-la desfrutando e servindo o mundo que Deus fez, em vez de uma tela?

Sabedoria digital para a família foi publicado no Brasil pela The Pilgrim e está disponível com exclusividade para seus assinantes.

Original: https://www.thegospelcoalition.org/reviews/the-tech-wise-family/

Courtney Reissig é a autora de Glory in the Ordinary: Why Your Work in the Home Matters to God, The Accidental Feminist: Restoring Our Delight in God’s Good Design, e Teach Me to Feel: Worshiping Through the Psalms in Every Season of Life (a ser lançado em janeiro de 2020). Ela é casada com Daniel, tem quatro filhos e, juntos, eles participam da igreja Immanuel Baptist Church em Little Rock, Arkansas. Você pode ler mais sobre ela no seu blog ou segui-la no Twitter.